Notícias

2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 

JUSTIÇA - Réu por espancar e atropelar ex-esposa enfrenta júri só de mulheres

10 de outubro de 2018

A subsecretária de políticas públicas para mulheres, Luciana Azambuja (de branco), perto da vítima, Bruna Oliveira Soares (de óculos) (Henrique Kawaminami)

No Dia Nacional do Combate à Violência contra a Mulher, Gustavo Portilho Soares, réu por tentativa de feminicídio contra a ex-mulher, Bruna Oliveira Soares, é ouvido pela 2ª Vara do Tribunal do Júri, composto apenas por mulheres. Gustavo tentou matar Bruna com golpes de capacete e pé de cabra, além de ter atropelado a vítima.

Ele é julgado com agravantes de motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, segundo a denúncia apresentada pelo MPMS (Ministério Público Estadual). Bruna teve um dos braços fraturados, sofreu contusão no outro, sofreu três cortes na cabeça e teve traumatismo craniano, além de várias lesões e fraturas.

Hoje, ela percorre o Estado dando palestras sobre violência contra a mulher. A subsecretária de políticas públicas para as mulheres, Luciana Azambuja, acompanha o caso. “É uma coincidência muito grande e feliz, porque a data foi instituída em São Paulo, mas pode virar um marco para Mato Grosso do Sul dependendo do resultado de hoje, que nós esperamos que seja bem rigoroso”, comentou.

A subsecretária ressaltou que Bruna viveu um relacionamento abusivo. “Ela só percebeu isso quando estava na maca do hospital. Bruna foi uma vítima e hoje é uma sobrevivente. Hoje é um dia de reflexão a algo que não tem justificativa, a agressão a Bruna foi uma agressão a todas nós”, concluiu.

Vítima – Bruna explicou ao júri que estava separada do autor do crime há mais de um mês e que “estava conhecendo um rapaz”. “Quando eu saí, eu lembro que manchei quase todos os portões da rua de sangue porque estava pedindo socorro, mas não saiu ninguém, hora que eu estava voltando eu caí em cima do meu braço quebrado e ele me chutando e depois saiu na moto de novo”, relatou.

A vítima afirmou ter corrido até a frente de um mercado quando Gustavo a atropelou e continuou a chutá-la. “Ai eu desisti, parei de tentar me defender porque eu vi que ele não ia parar, fechei o olho e deixei ele bater”.

Réu - A todo momento, Gustavo encarava Bruna, o que motivou questionamento da defensora da vítima. Perante o Júri, ele declarou “estar muito arrependido” e pediu perdão à família da vítima.

“Estou muito arrependido pelo sofrimento que causei, minha mãe está sofrendo muito e meu pai tem problema de coração, a família dela que sempre me tratou muito bem eu peço perdão e a ela, que eu tanto amei durante anos. Hoje estou numa cela evangélica, me converti e só posso pedir perdão”, afirmou.

Gustavo afirmou que nunca teve intenção de bater na esposa. Ele afirma ter sofrido um “surto”, ao ver a ex-esposa com outro homem na casa. Ele declarou que foi até a casa da ex-mulher por ter “combinado” com ela.

“Eu estava na casa da minha irmã e fui para lá pra dormir com ela. Abri o portão e quando cheguei na porta do quarto estava encostada, chamei ela por amor e ela falou que era melhor eu não entrar. Quando entrei estava ela com roupa de dormir e o cara de cueca, foi a pior visão da minha vida. Isso foi vingança porque ela sabia que eu estava me relacionando com uma mulher do meu serviço. Eu não aguentei quando vi aquele moleque dormindo com quem eu mais amei na vida”, declarou.

O réu ainda negou que o crime ocorreu por não aceitar o fim do relacionamento. Ele ainda comentou que se o motivo fosse esse “já teria agredido uma semana antes”. “Minha intenção não era agredir ela, mas ela defendeu ele e eu fiquei louco”.

Promotor do caso, Douglas Oldegardo afirma que o caso “é uma barbárie” e pontuou que a história contada por Gustavo não é verdadeira. “Será que ela era tão jumenta assim de ter combinado de dormir com ele e ter levado o namorado em casa? Tem um nariz de palhaço em nossas caras?”, questionou.

Prisão – Gustavo está preso desde a data do crime, quando invadiu a casa da ex-mulher por volta das 4h30 no dia 4 de novembro de 2017, na Rua Campina Nova, bairro Ramez Tebet. O autor tem passagens por lesão corporal, ameaça e desacato. Em 2011, ele ameaçou a ex-namorada na porta do serviço por não aceitar o término, e ela teve que pedir medida

Fonte: Campo Grande News


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
17/06/2019 - ESTADO - Governo prorroga até 2022 autonomia do Detran-MS para contratar obras17/06/2019 - ESTADO - Cartaz em locais públicos informando direitos de pessoas com câncer vira lei em MS17/06/2019 - INTERNACIONAL - Quênia investiga paciente com suspeita de contaminação por ebola17/06/2019 - GERAL - Universidades vão ajudar na recuperação da bacia do Rio Doce17/06/2019 - ECONOMIA - Exportações brasileiras crescem 10% em maio com vendas para os EUA17/06/2019 - POLÍTICA - PSL e PRB dominam frentes diplomáticas no Congresso17/06/2019 - GERAL - Imposto de Renda: Receita Federal paga nesta segunda restituição de idosos e de pessoas com deficiência17/06/2019 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 256914/06/2019 - EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DE DIRETORIA CANAPAR14/06/2019 - POLÍTICA - Governo acaba com obrigatoriedade de simulador para tirar carteira14/06/2019 - PARANAÍBA - Educação entrega edredons e toalhas para Ceinfs municipais14/06/2019 - ESTADO - Fiscais de MS vão ao Paraná conhecer trabalho de retirada da vacinação contra febre aftosa14/06/2019 - POLÍTICA - Exoneração do ministro Santos Cruz é publicada no Diário Oficial14/06/2019 - EDUCAÇÃO - Candidatos têm até esta sexta para se inscrever no ProUni14/06/2019 - ESTADO - Após paralisação surpresa, ônibus voltam a circular em Campo Grande13/06/2019 - ESTADO - Mulher é assaltada na frente de banco e ladrões levam R$ 60 mil13/06/2019 - ESTADO - MS é líder no Centro-Oeste em número de projetos cadastrados para leilão de energia13/06/2019 - POLÍTICA - Bolsonaro vai aguardar relatório da Previdência para se manifestar13/06/2019 - INTERNACIONAL - Situação continua tensa em Hong Kong13/06/2019 - ECONOMIA - Caminhão da Serasa ajuda consumidores a renegociar dívidas