Notícias

2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 

POLÍTICA - STJ mantém deputado e vereadores como réus na Coffee Break

31 de outubro de 2018

STJ aceitou recurso e Coffe Break , que denunciou corrupção para cassar prefeito, tem mais uma reviravolta.

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) aceitou recurso do MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para que o deputado estadual Paulo Siufi (MDB); o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB); e o vereador Eduardo Romero (Rede) voltem a ser réus na Coffee Break.

A operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) foi realizada em 25 de agosto de 2015, véspera do aniversário de Campo Grande, e resultou no afastamento do então prefeito Gilmar Olarte e denúncia de que a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP) pela Câmara teve enredo de corrupção, envolvendo empresários e vereadores.

Em junho de 2017, o juiz David de Oliveira Gomes Filhos, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, aceitou denúncia por improbidade administrativa, na versão cível da Coffee Break. Contudo, o TJ/MS (Tribunal de Justiça) livrou vários réus da denúncia.

Neste cenário, o Ministério Público entrou com uma série de agravos em recurso especial no STJ e as primeiras decisões, assinadas pela ministra Assusete Magalhães, determinaram que a “ação civil pública retome seu regular processamento perante o Juízo de primeiro grau”. Depois de apresentada à Justiça, ação de improbidade administrativa não prescreve.

Orquestra - A primeira decisão, com data de 23 de outubro, é do recurso contra Paulo Siufi. Conforme a promotoria, ele participou de diversas reuniões com empresários e outros vereadores para orquestrar a cassação de Bernal. O benefício seria fazer nomeações para a Secretaria Municipal de Saúde.

No último dia 25, as decisões da ministra foram sobre Rocha e Romero. Quanto ao presidente da Câmara, o Ministério Público classifica como “risível” cogitar como normal depósito de valores consideráveis em prol do recorrido e destaca depósito de R$ 25 mil de uma construtora.

Já Eduardo Romero é citado na denúncia por negociar o voto favorável à cassação em troca de nomeação de secretário e outras indicações para a prefeitura.

De acordo com o STJ, a decisão alvo do recurso do MP/MS está em dissonância com a jurisprudência da Corte, firmada no sentido de que a presença de indícios de cometimento de atos previstos na Lei de Improbidade Administrativa autoriza o recebimento da ação inicial.

“Sendo assim, somente após a regular instrução processual é que se poderá concluir pela existência de eventual prática de ato de improbidade administrativa (ou não)”.

Repercussão – O deputado Paulo Siufi afirmou nesta terça-feira (dia 30) que tem confiança na Justiça e consciência tranquila. “Fui julgado e absolvido aqui. Estou à disposição da Justiça, em nenhum momento escondi nada e sempre falei a verdade. Fui absolvido por três a zero e vou continuar confiando na Justiça”, diz.

Tom similar foi adotado pelo vereador João Rocha. “Não tenho essa informação. Não fui comunicado. Mas é uma questão de advogados se tem algo novo. Minha consciência está tranquila. A Justiça sempre será feita. Os advogados cuidam dessa parte e eu cuido da Câmara”. Eduardo Romero (Rede) disse que a aceitação do recurso é um procedimento burocrático, já que a decisão de mérito depende do colegiado. De todo modo, afirmou que os advogados estão envolvidos no assunto.

Fonte: Campo Grande News


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
21/02/2020 - ESTADO - Heleno sugere a Bolsonaro colocar povo na rua para enfrentar “chantagem” do Congresso21/02/2020 - ESTADO - Laudo da Sesau confirma água contaminada e Detran-MS responde a processo sanitário21/02/2020 - ESTADO - O Democratas Estadual de MS e o Diretório Municipal de Dourados realizam encontro de lideranças21/02/2020 - ESTADO - PRF apreende R$ 300 mil em mercadorias contrabandeadas na BR-16321/02/2020 - ESTADO - AGENDONA: Confira o que vai rolar em Campo Grande no Carnaval 202021/02/2020 - ESTADO - Sexta-feira de calor e chuva de verão em Mato Grosso do Sul21/02/2020 - ESTADO - Que tal uma prainha neste Carnaval? Descubra a beleza das praias de água doce de MS21/02/2020 - ESTADO - Carnaval: saiba como ficam os serviços públicos no feriado21/02/2020 - ESTADO - Dicas para aproveitar o carnaval de maneira saudável21/02/2020 - ESTADO - Milagres do Carnaval é tema de campanha deste ano do Detran-MS21/02/2020 - ESTADO - Operação Carnaval: evite voltar para casa a pé; DOF dá dicas de segurança20/02/2020 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 265420/02/2020 - NACIONAL - Maia rebate ministro Augusto Heleno sobre críticas ao Congresso20/02/2020 - ESTADO - Contra ICMS de Reinaldo, MBL prepara carreata para sexta em Campo Grande20/02/2020 - ESTADO - MPMS proíbe associação de municípios de gastar com parentes de prefeitos 20/02/2020 - ESTADO - Após impasse, Detran-MS contrata empresa de segurança por R$ 3,2 milhões20/02/2020 - ESTADO - Reinaldo Azambuja tira R$ 7,8 milhões de hospitais em Três Lagoas e Dourados para o HRMS20/02/2020 - ESTADO - G11 indica deputados e CCJR é formada 15 dias após volta da Assembleia20/02/2020 - ESTADO - Fora da CCJR, Catan cita ‘quebra de compromisso’ e deixa G11 da Assembleia20/02/2020 - ESTADO - Marun discute segurança na fronteira de MS com autoridades e administração de Itaipu