Notícias

0 2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 

INTERIOR - Piloto que traficava cocaína da Bolívia em aviões é preso em MS

07 de novembro de 2018

Piloto chegando a PF para prestar depoimento. (Foto:

Um piloto de aviões, não identificado, foi preso nesta terça-feira (6) pela PF (Polícia Federal) em Corumbá (MS), cidade que fica a 419 quilômetros de Campo Grande. O suspeito é apontado como um dos pilotes responsáveis pelo tráfico aéreo de cocaína boliviana até pistas clandestinas do Mato Grosso.

Segundo a PF, o membro da organização criminosa já esteva preso no Estabelecimento Penal de Corumbá, conforme o site Diário Corumbaense. Nesta manhã (06) ele foi escoltado até a Delegacia da PF, ouvido e é mantido detido preventivamente na sede da Polícia Federal em Corumbá.

A prisão integra a operação Escalada, deflagrada nesta terça-feira (6) e que investiga o tráfico internacional de cocaína em MS, MT, AM, SP, MG e RO. Depois de pousar nas pistas clandestinas, a droga era ocultada em fundos falsos de caminhões, a maior parte com destino a São Paulo.

Ao todo na operação, devem ser cumpridos 42 mandados judiciais, sendo 4 de prisão preventiva, 14 de prisão temporária e 24 mandados de busca e apreensão. No total foram apreendidos 3 toneladas de pasta base de cocaína, além de uma aeronave bimotor e diversos veículos utilizados no transporte.

A organização criminosa movimentava grande parte de recursos financeiros e da parte de logística para o transporte da droga com a aquisição de veículos e aeronaves em nome de pessoas que sequer existiam.

Investigações

De acordo como a Polícia Federal, as investigações começaram há aproximadamente 10 meses e estavam baseadas em Cuiabá. Ela ocorre nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio de Leverger, Poconé, Cáceres, Rondonópolis, Alto Araguaia em MT, além de Corumbá (MS), Manaus (AM), Paulinia (SP), Bauru (SP), Uberlândia (MG), e Vilhena (RO).

Durante a fase de investigações, foram feitos oito autos de prisão em flagrante que resultaram na prisão de nove pessoas. Ainda conforme o site G1 de Mato Grosso a 7º Vara Federal Criminal em Cuiabá determinou ainda o bloqueio de contas bancárias utilizadas pelos investigados, além do sequestro de bens.

O nome da operação é em razão de alguns dos principais investigados terem experimentado um grande aumento patrimonial em tempo reduzido, como uma cobertura em apartamento de luxo e imóvel e apartamento de luxo em Cuiabá, sem qualquer ocupação lícita que as justifique.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
19/11/2018 - ESTADO - Publicados novos valores das unidades monetária e de referência do MS19/11/2018 - ESTADO - Governo de MS abre mais de mil vagas para promoção dos servidores das carreiras da PC19/11/2018 - EDITAL DE PROCLAMAS Nº 249716/11/2018 - POLÍTICA - Bolsonaro reitera que decisão sobre médicos cubanos é humanitária16/11/2018 - POLÍTICA - Thompson Flores assina exoneração de Sergio Moro14/11/2018 - POLÍTICA - Com Bolsonaro, Reinaldo Azambuja defende fronteira e reajuste da tabela SUS14/11/2018 - POLÍTICA - FPA debate pauta da agropecuária com futura ministra da Agricultura14/11/2018 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 249614/11/2018 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 249414/11/2018 - ESTADO - PRF deflagra operação no feriadão com foco em reduzir acidentes graves14/11/2018 - INTERIOR - Estudantes de MS criam dicionário de línguas indígenas e projeto é premiado14/11/2018 - INTERIOR - Traficante abandona carro abarrotado com 820 quilos de maconha na MS-16414/11/2018 - POLÍTICA - Projeto prevê que poder público informe sobre radares eletrônicos14/11/2018 - POLÍTICA - Bolsonaro volta atrás e Ministério do Trabalho será mantido14/11/2018 - POLÍTICA - Bolsonaro recua e deve manter ensino superior integrado ao Ministério da Educação14/11/2018 - POLÍTICA - Ferrovia Malha Oeste será recuperada e concessão deve ser prorrogada, garante Reinaldo14/11/2018 - POLÍTICA - Pesca, agricultura familiar e Incra devem integrar Ministério, diz Tereza14/11/2018 - CAPITAL - Pedestre sofre risco de amputação após ter pena esmagada em atropelamento13/11/2018 - REGIÃO - Construção de casas vai acabar com 12 anos de espera em Paranaíba13/11/2018 - POLÍTICA - TJMS aceita recurso e anula ação contra Nelsinho Trad e ex-secretário