Notícias

2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 

PARANAÍBA - Controle de vetores intensifica ações em ‘regiões preocupantes’ sobre leishmaniose

15 de maio de 2019

1507_2

Haverá borrifação e instalação de armadilhas, além de blitze educativa

Visando inibir a proliferação do mosquito e a infecção da leishmaniose em animais, o Controle de Vetores de Paranaíba preparou para o mês de maio uma ação de inquérito canino em regiões “preocupantes”. Haverá borrifação e instalação de armadilhas, além de blitze educativa na região.

 “Cada vez mais nós temos trabalhado junto da comunidade para vencer o mosquito, porque não só o risco, mas a preocupação também é de todos, por isso precisamos de todos unidos para que nossa população não sofra”, explica o supervisor, Fábio Rogério Guimarães de Freitas.

 Fábio lembra que é muito importante que a população mantenha os terrenos limpos, evitando locais úmidos e aglomeração de materiais orgânicos. “Esses habitats são propícios a proliferação do mosquito, mas com o cuidado dos moradores é possível evitar”, disse.

 Leishmaniose Visceral

 A Leishmaniose Visceral é uma doença ainda sem cura e transmitida pela picada de insetos vetores, os flebotomíneos, popularmente chamados de “mosquito palha” ou “cangalhinha”. Eles são pequenos, de cor clara e pousam de asas abertas.

 O mosquito se contamina com o sangue de pessoas e de animais doentes, principalmente cães, e transmite o parasita às pessoas e animais sadios. Existem dois tipos de leishmaniose, a visceral e a tegumentar.

 Entre os principais sintomas da leishmaniose visceral, considerada mais grave, estão alteração do estado geral, febre, palidez, fraqueza e aumento das vísceras – principalmente do baço, do fígado e da medula óssea. Nos cães também pode haver descamação de pele e crescimento progressivo das unhas.

 Para combater os focos do mosquito, é fundamental manter terrenos limpos de resíduos orgânicos, como folhas, frutas e lixo comum – diferentemente do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikuyngunia, o mosquito-palha não precisa de água parada para se reproduzir.

 

0011supergasbras710

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Paranaíba MS


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
19/09/2019 - INTERNACIONAL - Justiça do Japão absolve 3 ex-executivos da Usina Nuclear Fukushima 119/09/2019 - ECONOMIA - Pis/Pasep: pagamento aos nascidos em setembro começa hoje19/09/2019 - PARANAÍBA - Moradores da zona rural terão dia especial de saúde18/09/2019 - GERAL - Funcionários dos Correios suspendem greve18/09/2019 - ECONOMIA - ANP diz que está atenta a cobranças abusivas de combustíveis18/09/2019 - EDUCAÇÃO - Parceria com Suécia estimula participação de meninas na área de exatas18/09/2019 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 260218/09/2019 - Estado - Detran-MS explica sobre as novas regras para obter a Autorização para Conduzir Ciclomotor18/09/2019 - Estado - Depois de calor recorde, estiagem pode bater média histórica dos últimos dez anos em MS18/09/2019 - Estado - Governo Presente desembarca na região Norte nesta quinta18/09/2019 - Estado - Bancada federal de MS quer destravar investimentos para implantação da Rota Bioceânica 17/09/2019 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 260117/09/2019 - “Precisamos desjudicializar e os Cartórios são a solução para isso”, defende senadora Soraya Thronicke.17/09/2019 - POLÍTICA - Governo reduz tarifa de importação de equipamentos médicos17/09/2019 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 260017/09/2019 - Estado - Incêndio em Refúgio Caiman começa a diminuir após seis dias17/09/2019 - Estado - Delcídio está pronto para disputar, diz Roberto Jeferson sobre candidatura em Campo Grande17/09/2019 - Estado - Campo Grande adia licitação e vai prorrogar contratos de R$ 44 milhões do tapa-buraco17/09/2019 - Estado - BID quer firmar novas parcerias com Mato Grosso do Sul17/09/2019 - Estado - Semana Nacional de Trânsito terá simuladores de embriaguez e impacto no Estado