Notícias

2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 

POLÍTICA - CCJ do Senado começa a discutir reforma da Previdência esta semana

13 de agosto de 2019

Relator pretende incluir emendas em PEC paralela

A chegada da reforma da Previdência ao Senado (PEC 6/2019) promete esquentar o clima na Casa a partir desta semana, quando começa a ser discutida na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. O relator, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), defende abertamente que os colegas confirmem o texto aprovado pelos deputados, sem nenhuma alteração para que a PEC não precise voltar à Câmara. Apesar de reconhecer que o texto votado na Câmara precisa ser melhorado, sobretudo no que diz respeito à novas regras de previdência de estados e municípios, o tucano defende que as alterações propostas pelos senadores estejam em PEC paralela que tem o apoio do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Apesar do discurso de Tasso, vários parlamentares insistem que não querem ser meros carimbadores de decisões da Câmara. Apesar de favorável à reforma, um desses nomes é o senador Plínio Valério (PSDB-AM). O parlamentar disse em plenário, na última semana, que está “muito preocupado com o que leu até o momento”. Segundo o senador, está claro que quem mais precisa de aposentadoria é o trabalhador de empresa privada, o funcionário público, e não os ricos do país. Insatisfeito com o texto nos termos em que foi aprovado pela Câmara, Plínio Valério ressaltou que espera que “o Senado não se furte ao seu papel de casa revisora”.

Também favorável à proposta, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) acredita que entre os pontos que precisam ser modificados no texto aprovado pela Câmara está o dispositivo que limita a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O senador acredita que esse benefício tem impacto na vida de muitos idosos e deficientes físicos, em situação de extrema pobreza, sendo crucial para a sobrevivência das famílias e, por isso, a limitação da concessão desse benefício, conforme veio do Congresso, deve ser revista. Ele também defendeu a inclusão dos estados e municípios na reforma.

“Esta reforma é necessária, sim, e importante para o Brasil. A responsabilidade não é só do governo ou da Câmara, mas também do Senado da República, que não pode se eximir de ouvir a sociedade na busca de aperfeiçoamento ao texto, em nome da Justiça e do bem da população. E essa discussão não pode ser açodada. Ela precisa ter maturidade, ter serenidade e esta Casa tem a prerrogativa de fazer isso'” afirmou.

Já a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) destacou que ainda há pontos a serem melhorados, como as pensões abaixo de um salário mínimo, a constitucionalização do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a nova regra para o acesso do abono salarial. Segundo a senadora, a intenção é trabalhar para que o texto final seja o mais próximo possível do que precisa o povo brasileiro.

A senadora acrescentou que, se preciso, a oposição irá obstruir a votação, mas admitiu que poderá fazer um acordo, caso haja essa possibilidade — aprovando o texto base e criando uma PEC paralela com os trechos que os senadores considerarem prejudiciais. “Nosso único objetivo é chegar em um texto melhor ainda”, destacou.

Entre os contrários ao texto, está o senador Jorge Kajuru (PSB-GO). Para ele, a população mais carente vai ser sacrificada com a proposta. O senador disse que não aceitará “toma lá, dá cá” para votar a favor da proposta. “Eu quero deixar claro e, se mentir, por favor, cassem meu mandato e me ponham na cadeia: se me for oferecido um centavo de emenda para o estado de Goiás, que orgulhosamente eu represento, seja para a saúde, seja para a educação, mesmo que meus eleitores se revoltem comigo, eu não vou aceitar!”, afirmou.

 

Fonte: Agência Brasil


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
23/08/2019 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 259723/08/2019 - Nessa sexta-feira (23/08), em comemoração ao “Dia do Soldado”23/08/2019 - Polícia Militar prende homem por receptação de celular furtado em Paranaíba23/08/2019 - ESTADO - Governo de MS muda lei estadual e ‘recebe’ trecho de rodovia que vai privatizar23/08/2019 - ESTADO - Governo de MS altera lei e órgãos essenciais devem prestar atendimento em Libras23/08/2019 - INTERNACIONAL - Rússia envia seu primeiro robô humanoide ao espaço23/08/2019 - GERAL - Imigrantes investiram R$ 1,5 bi no Brasil em sete anos23/08/2019 - POLÍTICA - Países usam incêndios para tentar prejudicar o Brasil, diz Bolsonaro22/08/2019 - EDITAL DA ESCOLA ESTADUAL MANOEL GARCIA LEAL22/08/2019 - INTERNACIONAL - EUA querem saída de Maduro e Juan Guaidó diz que regime se contradiz22/08/2019 - ECONOMIA - Privatização da Eletrobras não prevê "ação de ouro", diz ministro22/08/2019 - LICENÇA AMBIENTAL DIESELBRAS 22/08/2019 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 259422/08/2019 - ESTADO - Projetos do MS serão apresentados no Fórum Nacional de Habitação em Foz do Iguaçu22/08/2019 - GERAL - Traficante tenta esconder droga em tanque de combustível de caminhão, mas acaba preso22/08/2019 - PARANAÍBA - Vacina BCG passa por adequação em Paranaíba22/08/2019 - GERAL - Vereadores de BH aprovam pedido de indiciamento da Vale em CPI22/08/2019 - POLÍTICA - Câmara aprova projeto que amplia posse de arma em propriedade rural21/08/2019 - Paranaíba - “Operação Bairro Seguro”21/08/2019 - Polícia Militar e profissionais integrantes da “Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica” realizam blitz alusiva à campanha “Agosto Lilás” em Paranaíba