Notícias

2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 

POLÍTICA - Países usam incêndios para tentar prejudicar o Brasil, diz Bolsonaro

23 de agosto de 2019

Os incêndios florestais na região amazônica podem ser usados para prejudicar o setor do agroneócio do Brasil, disse hoje (22) o presidente Jair Bolsonaro, durante live semanal no Facebook. Ele destacou que o governo trabalha para mitigar o problema e pediu que as pessoas ajudem a denunciar práticas criminosas na área.

"Alguns países aproveitam o momento para potencializar as críticas contra o Brasil para prejudicar o agronegócio, nossa economia, recolocar o Brasil numa posição subalterna", afirmou. O presidente criticou manifestações estrangeiras sobre o assunto. "Um país agora, sem dizer o nome aqui, falou da 'nossa Amazônia', teve a desfaçatez de falar 'a nossa Amazônia', está interessado em um dia ter um espaço aqui na nossa Amazônia para ele", disse.

Minutos após terminar a live, Bolsonaro mencionou, pelo Twitter, postagem do presidente francês, Emmanuel Macron, sobre as queimadas na Amazônia. Segundo Bolsonaro, Macron postou uma foto desatualizada de queimada na região. "Lamento que o presidente Macron busque instrumentalizar uma questão interna do Brasil e de outros países amazônicos para ganhos políticos pessoais. O tom sensacionalista com que se refere à Amazônia (apelando até p/ fotos falsas) não contribui em nada para a solução do problema. O Governo brasileiro segue aberto ao diálogo, com base em dados objetivos e no respeito mútuo. A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século XXI", escreveu o presidente brasileiro.

Na publicação no Twitter, o presidente da França classificou os incêndios na Amazônia de "crise internacional" e pediu que os líderes do G7 tratem urgentemente do tema. "Nossa casa está queimando. Literalmente. A floresta amazônica, pulmão que produz 20% do oxigênio do nosso planeta, está em chamas. Isso é uma crise internacional. Membros do G7, vamos discutir essa emergência de primeira ordem em dois dias", tuitou.

O próximo encontro do G7, que reúne os presidentes de EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Canadá e Japão, será realizado neste fim de semana, em Biarritz.

Queimadas criminosas
Durante a live, o presidente brasileiro admitiu que tem havido incêndios criminosos e que, segundo ele, isso pode significar uma tentativa de afetar a soberania brasileira sobre a Amazônia. Ele comparou os incêndios no Brasil a outros que acontecem anualmente em regiões como a Califórnia, nos Estados Unidos.

"Aqui tem o viés criminoso? Tem. Sei que tem. Quem que pratica isso? Não sei. Os próprios fazendeiros, ONGs, índios, seja lá o que for. Então, existe esse interesse em cada vez mais dizer que nós não somos responsáveis e quem sabe, mais cedo ou mais tarde, alguém decrete uma intervenção na região amazônica e nós vamos ficar chupando o dedo aqui no Brasil", disse.

Bolsonaro também criticou parte da imprensa na cobertura sobre o assunto. Ele reforçou que o problemas decorrentes dos incêndios podem prejudicar a todos no país. "Nossa economia está escorada nas commodities. Se o mundo resolver nos retaliar, e a economia nossa bagunçar, todo mundo, inclusive vocês, repórteres, vai sofrer as consequências."

Por fim, o presidente fez um apelo aos fazendeiros da região que estejam ateando fogo em áreas florestais. "Há suspeita que tem produtor rural que está agora aproveitando e tacando fogo geral aí. As consequências vêm para todo mundo. Se vocês querem ampliar a áreas de produção, tudo bem, mas não é dessa forma que a gente vai conseguir atingir nosso objetivo."

Bolsonaro ainda revelou ter recebido oferta de aeronaves para combater os incêndios por parte do presidente do Chile, Sebástian Piñera, e do Equador, Lenín Moreno.

 

Fonte: Agência Brasil


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
21/02/2020 - ESTADO - Heleno sugere a Bolsonaro colocar povo na rua para enfrentar “chantagem” do Congresso21/02/2020 - ESTADO - Laudo da Sesau confirma água contaminada e Detran-MS responde a processo sanitário21/02/2020 - ESTADO - O Democratas Estadual de MS e o Diretório Municipal de Dourados realizam encontro de lideranças21/02/2020 - ESTADO - PRF apreende R$ 300 mil em mercadorias contrabandeadas na BR-16321/02/2020 - ESTADO - AGENDONA: Confira o que vai rolar em Campo Grande no Carnaval 202021/02/2020 - ESTADO - Sexta-feira de calor e chuva de verão em Mato Grosso do Sul21/02/2020 - ESTADO - Que tal uma prainha neste Carnaval? Descubra a beleza das praias de água doce de MS21/02/2020 - ESTADO - Carnaval: saiba como ficam os serviços públicos no feriado21/02/2020 - ESTADO - Dicas para aproveitar o carnaval de maneira saudável21/02/2020 - ESTADO - Milagres do Carnaval é tema de campanha deste ano do Detran-MS21/02/2020 - ESTADO - Operação Carnaval: evite voltar para casa a pé; DOF dá dicas de segurança20/02/2020 - EDITAL DE PROCLAMAS N° 265420/02/2020 - NACIONAL - Maia rebate ministro Augusto Heleno sobre críticas ao Congresso20/02/2020 - ESTADO - Contra ICMS de Reinaldo, MBL prepara carreata para sexta em Campo Grande20/02/2020 - ESTADO - MPMS proíbe associação de municípios de gastar com parentes de prefeitos 20/02/2020 - ESTADO - Após impasse, Detran-MS contrata empresa de segurança por R$ 3,2 milhões20/02/2020 - ESTADO - Reinaldo Azambuja tira R$ 7,8 milhões de hospitais em Três Lagoas e Dourados para o HRMS20/02/2020 - ESTADO - G11 indica deputados e CCJR é formada 15 dias após volta da Assembleia20/02/2020 - ESTADO - Fora da CCJR, Catan cita ‘quebra de compromisso’ e deixa G11 da Assembleia20/02/2020 - ESTADO - Marun discute segurança na fronteira de MS com autoridades e administração de Itaipu