Notícias

2003 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 

Estado - Trade turístico de Corumbá, maior destino de pesca, manifesta apoio à cota zero

14 de novembro de 2019

 

Foto Portal MS

Campo Grande (MS) – A decisão do Governo do Estado em proibir a captura e transporte de pescado das bacias dos rios Paraguai e Paraná, a partir de 2020, recebeu apoio integral da Associação das Empresas de Turismo de Corumbá (Acert). Em reunião nesta quarta-feira (13), a entidade reafirmou sua posição, já declarada anteriormente, em relação à cota zero. Corumbá tem a maior estrutura fluvial (27 barcos-hotéis) para a pesca esportiva e recebeu este ano mais de 25 mil pescadores.

“O pesque-solte é uma reivindicação que fazemos há pelo menos dez anos”, afirmou o presidente da Acert, empresário Luiz Antônio Martins. “A natureza não consegue acompanhar o extrativismo e temos percebido a redução do estoque pesqueiro a cada ano. A cota zero é uma medida preservacionista e vai beneficiar o nosso negócio, pois, quando mais preservamos, mais mercado teremos para a pesca esportiva no Pantanal”, sustentou.

Apostando no futuro

Martins lembrou que foi o trade turístico de Corumbá o primeiro segmento a abraçar a iniciativa do município em decretar a moratória para o dourado, em vigor desde 2007, e defende um tratamento diferenciado para o Pantanal em se tratamento de legislação de pesca. “É uma região única e preservada, distante 200 km da civilização e difícil acesso, que tem potencial para um turismo de pesca e contemplação sem concorrentes”, pontuou.

Segundo o empresário, a nova legislação pesqueira pode reduzir em 20% o fluxo de pescadores na região em 2020, porém a perspectiva de crescimento para os anos seguintes deixa o setor extremamente otimista. “Estamos apostando no futuro. Haverá mais peixe, vamos reconquistar os pescadores que trocaram o Pantanal pela Argentina e outros estados. Além disso, o perfil do nosso pescador mudou, ninguém quer levar mais peixe”, observou.

Cenário otimista

Para a empresária Joice Saldanha, 47 anos, os quais 20 anos dedicados ao turismo de pesca em Corumbá, as perspectivas para o próximo ano são as melhores possíveis. “O simples anúncio da cota zero já criou um novo cenário, onde pescadores que procuraram outros destinos estão voltando ao Pantanal com essa postura preservacionista do nosso governador”, disse.

Ela afirmou que seus clientes já praticam o pesque-solte há pelo menos dois anos e, cada vez mais, essa consciência aumenta entre os grupos que passam cinco dias pescando na região em pacotes oferecidos por barcos-hotéis. “Nosso pescador apoia essa proibição porque já não levam o peixe do Pantanal e de outros destinos que visitam. Acho até que demorou demais para tomar essa decisão. Hoje quando falamos que é cota zero o cliente vibra”, comentou.

Melhor destino

Enquanto era entrevistada sobre o decreto estadual, Joice fez contato por celular com o empresário Émerson Ferraz, 55 anos, praticante de pesca esportiva há três décadas. Ele deu seu testemunho, afirmando que o Pantanal, com a cota zero, se tornará o maior destino de pesca esportiva do Brasil. “A questão não apenas pelo fato de que haverá mais peixe, o Pantanal é um lugar único pela sua beleza e tem a melhor estrutura embarcada”, elogiou.

Ferraz é um dos operadores no Espírito Santo em pesca esportiva, há 22 anos, e parte de sua clientela prefere o Pantanal. “O Pantanal era o único lugar onde nosso cliente ainda podia levar o peixe. A cota zero repercutiu muito bem e acredito que o volume de pescadores crescerá em 2020. Quando escolhe o Pantanal, nosso cliente não pensa apenas no peixe, mas no desfrute de um lugar incomparável, fantástico, que tem vida, e no bom atendimento”, frisou.

Fonte: Portal do MS


Comentários










Digite o código abaixo:

Trocar imagem


Essa notícia ainda não foi comentada.


« anterior [1] 2 3 4 5 6 7 8 próximo »
02/07/2020 - ELEIÇÕES - Adiamento da eleição demonstra capacidade de ‘diálogo institucional’, diz Barroso01/07/2020 - POLÍCIA - ‘Só chorei a noite toda’, diz mãe de jovem sequestrada01/07/2020 - CORONAVÍRUS - Em novo recorde, MS tem 711 positivos em 24 horas e atinge 86 mortes por coronavírus01/07/2020 - POLÍCIA - Dançarino é condenado por 4 estupros e chegou a ter filho com uma das vítimas01/07/2020 - ESTADO - Em MS, pai que tentou ‘devolver’ filho afetivo, terá que continuar sendo pai01/07/2020 - POLÍCIA - Mulher é encontrada morta seminua em matagal e polícia procura por assassino01/07/2020 - POLÍCIA - Idoso morre soterrado a três metros de profundidade durante escavação de fossa01/07/2020 - ESTADO - Mil cestas básicas começam a ser entregues às famílias cadastradas pelo MPE que trabalham com reciclagem 01/07/2020 - DETRAN - Julho é mês de licenciar veículos com placas finais 5 e 601/07/2020 - ESTADO - Nova frente fria derruba temperaturas na primeira semana de julho30/06/2020 - PARANAÍBA – Bioquímico tira dúvidas sobre testes rápidos do Covid-1930/06/2020 - PARANAÍBA – Comércio fica liberado nos finais de semana30/06/2020 - EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA APAE DE PARANAÍBA30/06/2020 - ENTRETENIMENTO - Lives de terça têm Sandra de Sá, Gabeu, Porchat, Teresa Cristina e mais 30/06/2020 - POLÍCIA - Mãe é presa por organizar festa de aniversário clandestina e oferecer bebidas a adolescentes30/06/2020 - POLÍCIA - Acusada de traição, mulher é espancada e ameaçada de morte pelo ex30/06/2020 - NACIONAL - Calendário do auxílio emergencial de R$ 600 continua nesta terça; Veja quem recebe a parcela30/06/2020 - POLÍCIA - Criança recebe mensagem de ‘Homem Pateta’ e mãe procura a polícia em MS30/06/2020 - POLÍCIA - Menina de 7 anos morre atropelada ao atravessar estrada correndo para ver o pai30/06/2020 - PARANAÍBA – Prefeitura volta atrás e autoriza funcionamento do comércio durante fim de semana